Túlio Cesar Gondin

               Certo dia um homem estava na areia da praia, em frente a sua casa, com os pés sendo lavados mansamente pelas águas do mar ... Ele olhava para a imensidão inalcançável a sua frente ... Pensamentos diversos e duvidas invadiam a sua mente: qual seria o limite da irresignação ou da conformação, qual o significado da justiça , qual o limite humano para a mudança, o que seria a felicidade além de uma mera palavra, ... Qual a função do Direito na vida das pessoas ... Qual o objetivo disso tudo! Após algumas horas mergulhado nesses pensamentos, ele iniciava o batuque de uma Remington manual num papel oficio branco e dali saiam pedidos de habeas corpus , de usucapião,  de separação judicial, de liminares diversas, e os mais pitorescos casos como pedidos de indenização de uma noiva contra o noivo que desistiu do casamento um dia antes da cerimonia. Esse homem era Túlio César Gondin, ... Alguém que antes de um embate judicial se apoiava na filosofia e na paixão pela advocacia para não desistir nunca.... Já como estudante na Faculdade de Direito de Santa Catarina (atual UFSC), dedicava-se à defesa dos interesses de classe, como Presidente do Centro Acadêmico XI de Fevereiro. Advogado militante do ano de 1956 até 2003, em suas atividades classistas foi Conselheiro Estadual da OAB/SC por diversas vezes, Secretário Geral, e Presidente da CAASC. Foi presidente do Instituto dos Advogados de Santa Catarina de 1998 a 2003. Co-autor e organizador das obras intituladas “IASC - ANO 2000” e “IASC: Fim do Século”.